Lista de atribuições que NÃO compete aos CRAS – TOP 10 #06


De volta com nosso TOP 10 #06 para publicar novamente um dos assuntos mais compartilhados por vocês na nossa Página. Trata-se de um rol de atividades que NÃO constitui atribuição e competência das equipe de referência dos CRAS. Estas atividades estão relacionados no Caderno de Orientações Técnicas sobre o PAIF. Vol. 2. Trabalho Social com Famílias do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família – PAIF. 1ª Edição. Brasília.2012. Lembrando que a melhor maneira de ter segurança e autonomia para se posicionar contra as demandas equivocadas é ter clareza sobre o que preconiza o SUAS e no caso aqui, a Proteção Social Básica e quais são os objetivos do PAIF. Portanto, é sempre tempo de ler ou reler este caderno do MDS que é bem didático e ajuda a organizar o trabalho. É bom também manter a perseverança porque se ainda temos dúvidas sobre este trabalho, imagina a rede setorial e é nosso papel divulgar o que se faz nos CRAS. Baixe o Caderno AQUI

TOP 10 07

Para mais leituras sobre o trabalho no CRAS, clique aqui

Posts da série TOP 10 do Blog Psicologia no SUAS:

#01 Indicação de leitura para atuação no SUAS (Encontre mais de 40 sugestões de materiais sobre Cras, Creas…)

#02 Atividades com Idosos no PAIF – SCFVI – PAEFI (Sugestões de Materiais sobre Grupo de Idosos)

#03 Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos – SCFV ( Sugestão de materiais sobre o SCFV

#04 Materiais para ações socioeducativas e de convivência com crianças, adolescentes e jovens

#05 Livro sobre o CREAS – TOP10 #05 (A ATUAÇÃO DA PSICOLOGIA NO SUAS: um enfoque no CREAS, em seus desafios e potencialidades)

Nossa fanpage: facebook.com/PsicologianoSUAS

Até breve!

16 comentários

  1. Olá Rozana achei muito interessante seu blog, parabéns pelo trabalho.
    Tenho uma pergunta, sou assistente social e em minha cidade vivenciamos a falta de valorização do profissional.
    Ocorre que em nosso CRAS existem salários diferenciados aos profissionais, enquanto o profissional de psicologia ganha x, o assistente social recebe o equivalente a metade deste valor. Gostaria de saber sua opinião sobre o assunto, se existe alguma legislação que fale sobre a isonomia entre os profissionais de nível superior que atuam no CRAS.

    Curtir

    1. Oi Paula, obrigada pela visita e principalmente pelo comentário.

      Você aborda um ponto importante ligado a Gestão do Trabalho no SUAS. Essa questão precisa ser debatida pela gestão e legislativo mesmo. O seu caso me parece pouco recorrente considerando o que tenho visto, porque o que vejo é a psicóloga ganhando menos devido fazer 40h e os assistentes sociais 30h (DEVIDAMENTE e claro, sem redução do salário). Portanto deveria ser acertado a carga horária do profissional de psicologia, como já é feito em vários Municípios e todos com o mesmo vencimento, primando pela isonomia, que provavelmente está posta na Lei orgânica do seu Município.

      Um abraço e depois nos conta aqui como resolveram essa questão aí!

      Curtir

      1. Luciene, seu comentário me parece muito equivocado e apartado da ética e política de isonomia salarial entre os profissionais, bem equiparação de carga horária para uma mesma função (problemática que precisa de uma luta coletiva)

        Curtir

  2. Olá, Rozana. Trabalho em CRAS e estamos recebendo muita demanda do Conselho Tutelar encaminhando crianças com dificuldades de aprendizagem…é atribuição de Cras? O que posso fazer? Obrigado

    Curtir

  3. Olá, Rozana! Adoro seu blog. Sou psicólogo e trabalho em Cras e estamos recebendo muita demanda do Conselho tutelar e outros encaminhando crianças com dificuldades de aprendizagens… Gostaria de saber o que fazer com esses encaminhamentos, pois acredito que não é demanda de CRAS?? Aguardo resposta obrigado
    Abs

    Curtir

  4. Boa noite, Rosana! Sou Psicóloga e atuo em um CRAS. Gostaria de saber se posso fazer visitas de averiguação e condicionalidades para o programa PBF e de inclusão para o CAD Único? Aqui a demanda é grande para Assistente Social. Gostaria de saber se posso ajudá-la em relação a isso.

    Curtir

    1. Oi Patrícia,
      O que seria visita de averiguação? investigar o que? no meu entendimento isso não é trabalho para nenhum dos técnicos de referência.
      O que a equipe de referência faz (assistente social e psicólogo – veja que não é questão de ajudar ou nãoo- está no rol de atribuições) é realizar busca ativa das famílias em descumprimento de condicionalidades do PBF, onde o objetivo é analisar/estudar a situação da família e identificar quais os fatores impediram os membros de acessar os direitos sociais – adquirindo informações para que o estado continue mantendo a segurança de renda mínima da família, após, esta família é inserida em acompanhamento familiar, se for o caso. A busca ativa com intuito de inserção no cadastro único pode e deve ser feita pela equipe do cadastro único. No que tange aos técnicos do PAIF, a partir de busca ativa no território do CRAS, os técnicos, ao identificarem famílias com critérios de elegibilidade para o PBF e outros programas sociais, e que ainda não foram cadastradas, irão encaminhá-las para cadastramento, além das demais ações do PAIF.
      Um abraço

      Curtir

      1. Bom dia Rozana!
        Você sabe me dizer se existe alguma orientação publicada pelo MDS sobre visita de averiguação? Gostaria de ter algum documento(oficio, cartilhas etc) para apresentar, pois a gestora do Cadastro Único alegar que não é atribuição da equipe dela e sim dos técnicos do Cras…

        Curtir

  5. Olá! Rozana.
    Sou psicóloga do CRAS a 01 ano. Estou aprendendo muito com seus artigos e seus materiais de estudo.Estou precisando de sua orientação/sugestão de filmes para crianças sobre uso de drogas e também para um caso que a conselheira tutelar procurou o CRAS solicitando ajuda a uma mãe que quer colocar seu filho de 11 anos em um abrigo, porque ele é agressivo, mentiroso e briga na escola. Vou formar um grupo de crianças no CRAS para trabalhar valores e encaminhei a mãe para atendimento com a psicóloga da saúde, pois observei que ela também se encontra com conflitos da infância e com dificuldade de criar seu filho sozinha em uma cidade que não conhece ninguém. Aguardo! resposta. Abraço! Roseli

    Curtir

    1. Oi Roseli, obrigada por visitar o Blog e por deixar seu comentário.
      No momento não lembro de algum, dê uma olhada na lista que temos aqui (você viu?) e leia também os comentários pra ver se tem alguma sugestão com essa temática:https://craspsicologia.wordpress.com/2011/07/02/filmes-familias-psicologia-suas/
      Esta demanda ((fragilidade de vínculos familiares e comunitários) precisa ser acolhida e trabalhada no acompanhamento familiar mesmo tendo encaminhada a mãe à psicóloga. Estude e analise o caso junto com sua equipe e elabore o Plano de Acompanhamento Familiar, junto com a família, para identificar quais serão as melhores ações e estratégias a serem tomadas.
      Um abraço

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s